Exame Toxicológico

exame toxicologico.pngDesde de março de 2016 esta em vigor a Lei Federal n˚ 13.103 que traz como obrigatoriedade a realização de exames toxicológicos para motoristas profissionais, categorias C,D e E. Seja para habilitação ou renovação de CNH, a lei se estende para admissão ou demissão dos empregados em regime CLT.

A medida tem como objetivo trazer mais segurança nas rodovias, e também visa a otimização da jornada de trabalho e tempo de direção do motorista profissional.

O Laboratório Ramos de Souza esta habilitado a realizar as coletas com um valor acessível a todos os motoristas.

*Em caso de resultado positivo, não será encaminhado ao Denatran. O motorista será acionado para retirar o laudo na unidade que fez a coleta.

Anúncios

Uma em cada três mulheres tem osteoporose em todo o mundo

Fora as mulheres que desconhecem a existência da osteoporose, a doença afeta uma em cada três com mais de 50 anos no mundo todo.

Segundo levantamento da IOF (Fundação Internacional de Osteoporose, em tradução livre), a osteoporose afeta uma em cada três mulheres com mais de 50 anos em todo o mundo, fora as muitas que desconhecem a existência da doença. O problema se caracteriza pela perda de massa óssea e deterioração esquelética, o que deixa os ossos mais frágeis e suscetíveis a fraturas.

Como é uma doença que se mantém silenciosa e não causa dor, geralmente só é identificada após a primeira fratura, mesmo sendo possível diagnosticá-la precocemente por meio do exame de densitometria óssea. Porém, de acordo com o levantamento, apenas 39% das mulheres com 45 anos ou mais já se submeteram ao exame. Desse número, 37% o fez somente uma vez.

Para o Dr. Marcelo Pinheiro, diretor da Abrasso (Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo), o baixo número de adesão ao exame é reflexo da falta de preocupação com a doença e de orientação por parte dos médicos.

“É preciso fazer esse exame na mesma frequência que os preventivos ginecológicos. Falta uma campanha incentivando o diagnóstico precoce da doença e, principalmente, uma preocupação maior vinda dos próprios médicos”.

O ideal é que a densitometria óssea seja realizada anualmente a partir dos 40 anos, principalmente pelas mulheres que começam a entrar na menopausa — período em que a produção do hormônio estrogênio, responsável pela crescimento de todos os ossos, acaba diminuindo. Apesar de a doença ser mais comum entre os mais velhos, a osteoporose pode afetar pessoas de todas as idades e também do sexo masculino.

Fonte: Drauzio Varella